Accept Refuse

EUR-Lex Access to European Union law

Back to EUR-Lex homepage

This document is an excerpt from the EUR-Lex website

Document C2006/086/75

Processo T-44/06: Recurso interposto em 14 de Fevereiro de 2006 — Comissão/Elliniki Etaireia Epicheirimatikis Protovoulias e outros

OJ C 86, 8.4.2006, p. 37–38 (ES, CS, DA, DE, ET, EL, EN, FR, IT, LV, LT, HU, NL, PL, PT, SK, SL, FI, SV)

8.4.2006   

PT

Jornal Oficial da União Europeia

C 86/37


Recurso interposto em 14 de Fevereiro de 2006 — Comissão/Elliniki Etaireia Epicheirimatikis Protovoulias e outros

(Processo T-44/06)

(2006/C 86/75)

Língua do processo: grego

Partes

Recorrente: Comissão [Representantes: Maria Patakia e Spyridon Chatzigiannis]

Recorridos: Elliniki Etaireia Epicheirimatikis Protovoulias (Sociedade grega de iniciativa empresarial) — Hellenic Ventures S.A., Kostantinos Katsigiannis, Panagiotis Chronopoulos, Minas Patsouris, Nikolaos Poulakos e Robert Ceurvost

Pedidos da recorrente

Condenar, por um lado, a primeira recorrida, e por outro, solidariamente os outros cinco recorridos, a restituir à Comissão o montante total do adiantamento que a primeira recebeu da Comunidade, isto é, 70 000 ECU, actualmente EUR, acrescidos dos juros devidos que, calculados nos termos do contrato, se elevam, em 12 de Fevereiro de 2006, a 103 423,54 ECU, actualmente EUR, isto é, um total de 171 939,18 ECU, actualmente EUR, acrescido ainda de juros, calculados sempre com base na taxa contratual de 1,5 % ao mês, ou seja, um montante de 34,52 ECU, actualmente EUR, por dia de atraso, para o período compreendido entre 1 de Janeiro de 2006 e a data em que os recorridos efectuem o pagamento total da dívida.

condenar solidariamente os recorridos no pagamento das despesas da Comissão, incluindo o pagamento dos honorários dos seus advogados.

Fundamentos e principais argumentos

A Comunidade Europeia, representada pela Comissão Europeia celebrou com a empresa recorrida, da qual os outros recorridos são accionistas e membros do Conselho de Administração ou Directores, um contrato intitulado «Seed Fund 601» no quadro da «acção-piloto para a criação e desenvolvimento de fundos de capital de arranque (seed capital)» (1).

No quadro deste contrato, a Comissão assumiu a obrigação de conceder à empresa recorrida uma contribuição financeira sob a forma de um adiantamento reembolsável, de um montante máximo de 350 000 ECU. Este adiantamento destinava-se a cobrir 50 %, no máximo, dos custos de funcionamento em que incorreria a primeira recorrida no âmbito das suas actividades como fundo de capital-investimento de arranque na Grécia,. Neste âmbito, a Comissão pagou à empresa recorrida o primeiro adiantamento anual no montante de 70 000 ECU.

Por documento escrito de 16 de Junho de 1994, a Comissão notificou à recorrida a rescisão do contrato, convidando-a a restituir o montante de 70 000 ECU, acrescido de juros. Por carta de 19 de Setembro de 1994, a Comissão comunicou que esta decisão se devia à recusa por parte da recorrida em submeter-se a um controlo exaustivo dos auditores do Serviço de Controlo Financeiro da Comissão, em violação do artigo 8.1 do contrato. A Comissão considera que o referido controlo era indispensável, à luz das conclusões de um funcionário da Comissão, que após efectuar um controlo no terreno, expressou sérias dúvidas que os investimentos que a empresa recorrida tinha financiado preenchessem os critérios do caderno de encargos.

A empresa recorrida não restituiu o montante reclamado, não obstante, ter sido, por diversas vezes, convidada a fazê-lo.

Pelo seu recurso, a Comissão pretende obter o pagamento do montante referido em dívida, acrescido de juros.


(1)  JO C 306, de 1.12.1988, p. 12.


Top