EUR-Lex Access to European Union law

Back to EUR-Lex homepage

This document is an excerpt from the EUR-Lex website

Document 31997R1565

Regulamento (CE) nº 1565/97 da Comissão de 1 de Agosto de 1997 que autoriza a transformação em álcool de uvas de mesa retiradas do mercado na campanha de 1997/1998

OJ L 208, 2.8.1997, p. 27–28 (ES, DA, DE, EL, EN, FR, IT, NL, PT, FI, SV)

No longer in force, Date of end of validity: 30/04/1998

ELI: http://data.europa.eu/eli/reg/1997/1565/oj

31997R1565

Regulamento (CE) nº 1565/97 da Comissão de 1 de Agosto de 1997 que autoriza a transformação em álcool de uvas de mesa retiradas do mercado na campanha de 1997/1998

Jornal Oficial nº L 208 de 02/08/1997 p. 0027 - 0028


REGULAMENTO (CE) Nº 1565/97 DA COMISSÃO de 1 de Agosto de 1997 que autoriza a transformação em álcool de uvas de mesa retiradas do mercado na campanha de 1997/1998

A COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia,

Tendo em conta o Regulamento (CE) nº 2200/96 do Conselho, de 28 de Outubro de 1996, que estabelece a organização comum de mercado no sector das frutas e produtos hortícolas (1), e, nomeadamente, os seus artigos 23º, 30º e 57º,

Considerando que o Regulamento (CEE) nº 822/87 do Conselho de 16 de Março de 1987 que estabelece a organização comum do mercado vitivinícola (2), com a última redacção que lhe foi dada pelo Regulamento (CEE) nº 1417/97 (3), prevê a proibição de vinificação de castas classificadas como de uvas de mesa, a partir de 1 de Agosto de 1997; que a supressão desta possibilidade de destino alternativo para as uvas de mesa está na origem de sensíveis dificuldades no mercado de frutos frescos em certas regiões da Comunidade em que importantes quantidades deste produto eram orientadas para a vinificação e seguidamente para a destilação; que tais dificuldades podem vir a traduzir-se num aumento significativo das retiradas, sem qualquer possibilidade de escoamento para as organizações de produtores em causa; que, em consequência, se afigura justificado aplicar uma medida transitória ao abrigo da organização comum de mercado dos produtos frescos em que as se manifestam as supracitadas dificuldades;

Considerando que é conveniente prever, por um período transitório, a possibilidade de os Estados-membros destilarem as uvas de mesa retiradas do mercado; que tal destilação deve ser realizada por destilarias aprovadas, que apresentem as garantias exigidas em matéria de equipamento técnico e de controlo;

Considerando que é necessário prever medidas que assegurem a realização de controlos eficazes, a fim de evitar que as uvas retiradas do mercado sejam utilizadas na vinificação ou como produto fermentado no sector vitivinícola; que tais medidas dizem respeito à exigência de limitar a circulação das uvas retiradas ao seu transporte para as destilarias e à adição de um revelador a essas uvas, a fim de permitir a sua identificação e impedir a sua utilização no sector vitivinícola; que há que igualmente prever a desnaturação dos álcoois obtidos da destilação de tais uvas e apenas permitir o escoamento desse álcool fora do sector agrícola e das bebidas espirituosas;

Considerando que os Estados-membros devem prever o acesso, em condições iguais, de todos os operadores interessados, através de procedimentos adequados como o concurso ou a hasta pública; que devem igualmente evitar toda e qualquer distorção do mercado do vinho e do álcool; que devem ainda garantir o controlo do processo de obtenção do álcool;

Considerando que o Comité de gestão das frutas e produtos hortícolas não emitiu parecer no prazo fixado pelo seu presidente,

ADOPTOU O PRESENTE REGULAMENTO:

Artigo 1º

Em relação à campanha de 1997/1998, as uvas de mesa retiradas do mercado, em aplicação do nº 1 do artigo 23º do Regulamento (CE) nº 2200/96, podem ser transformadas em álcool com um título superior a 80 % vol, obtido por destilação directa do produto nas condições do presente regulamento.

Artigo 2º

As uvas de mesa retiradas do mercado e destinadas a transformação em álcool devem ser destiladas antes do termo da campanha de 1997/1998.

Artigo 3º

1. As uvas de mesa referidas no artigo 1º serão entregues a destilarias aprovadas. Os Estados-membros comunicarão à Comissão a lsita das destilarias aprovadas.

2. As destilarias aprovadas efectuarão a destilação em álcool das uvas de mesa recebidas em conformidade com o disposto no artigo 4º, sob controlo oficial.

Artigo 4º

1. As uvas de mesa retiradas do mercado e destinadas a destilação só podem circular com destino a uma destilaria aprovada.

2. Às uvas de mesa retiradas do mercado será adicionado um revelador autorizado pelas disposições nacionais, que permita identificá-las em qualquer momento e impeça a sua utilização no sector vitivinícola.

Artigo 5º

1. O álcool obtido por destilação das uvas de mesa será desnaturado no momento da sua obtenção com os marcadores previstos para o efeito pelo Regulamento (CE) nº 3199/93 (4)

2. O álcool proveniente dessa destilação não pode destinar-se a fins alimentares nem ser utilizado no sector das bebidas espirituosas.

Artigo 6º

Os álcoois provenientes de uvas de mesa retiradas do mercado são excluídos do benefício de qualquer financiamento comunitário.

Artigo 7º

1. Os Estados-membros tomam todas as medidas necessárias:

- para garantir a igualdade de acesso dos operadores à acção prevista no presente regulamento; para o efeito, podem recorrer a um processo de concurso ou de hasta pública,

- para evitar distorções no mercado vitivinícola e do álcool.

2. Os Estados-membros adoptam as disposições necessárias para garantir o controlo do processo de obtenção de álcool a partir de uvas de mesa retiradas do mercado.

Artigo 8º

O presente regulamento entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.

O presente regulamento é obrigatório em todos os seus elementos e directamente aplicável em todos os Estados-membros.

Feito em Bruxelas, em 1 de Agosto de 1997.

Pela Comissão

Monika WULF-MATHIES

Membro da Comissão

(1) JO nº L 297 de 21. 11. 1996, p. 1.

(2) JO nº L 84 de 27. 3. 1987, p. 1.

(3) JO nº L 196 de 24. 7. 1997, p. 10.

(4) JO nº L 288 de 23. 11. 1993, p. 12.

Top