EUR-Lex Access to European Union law

Back to EUR-Lex homepage

This document is an excerpt from the EUR-Lex website

Estratégia Europeia para a Deficiência (2010–2020)

This summary has been archived and will not be updated, because the summarised document is no longer in force or does not reflect the current situation.

Estratégia Europeia para a Deficiência (2010–2020)

SÍNTESE DE:

Compromisso renovado a favor de uma Europa sem barreiras para as pessoas com deficiência — COM(2010) 636 final

SÍNTESE

PARA QUE SERVE ESTA COMUNICAÇÃO?

A comunicação define uma estratégia para capacitar as pessoas com deficiência para que possam desfrutar plenamente dos seus direitos e participar na sociedade e na economia em pé de igualdade com as outras pessoas.

A estratégia baseia-se na Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (UNCRPD) e complementa a estratégia «Europa 2020» (a estratégia da UE para o crescimento inteligente, sustentável e inclusivo) e a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia do Tratado de Lisboa.

PONTOS-CHAVE

Esta estratégia destaca 8 áreas para a ação conjunta entre a União Europeia (UE) e os países da UE:

Acessibilidade: garantir que as pessoas com deficiência têm acesso a bens, serviços e dispositivos de assistência;

Participação: garantir que as pessoas com deficiência podem exercer todos os seus direitos fundamentais como cidadãos europeus;

Igualdade: garantir que são implementadas políticas (tanto a nível europeu como nacional) que promovem a igualdade;

Emprego: garantir um aumento no número de trabalhadores com deficiência no mercado de trabalho e garantir uma melhor acessibilidade aos locais de trabalho;

Educação e formação: garantir que os alunos e estudantes com deficiência beneficiam de um sistema de educação e de programas de aprendizagem ao longo da vida acessíveis. A Comissão Europeia já lançou várias iniciativas sobre a educação, como a Agência Europeia para o Desenvolvimento da Educação Especial;

Proteção social: lidar com os desafios sociais generalizados dos quais são vítimas as pessoas com deficiência, como desigualdade de rendimentos, risco de pobreza e exclusão social. Os fundos estruturais da UE e as medidas nacionais dos países da UE podem ser utilizados para garantir esta proteção social;

Saúde: garantir que as pessoas com deficiência possuem acesso equitativo e a preços módicos a serviços e estruturas de saúde (mental);

Ação externa: promover os direitos das pessoas com deficiência a nível internacional.

A fim de melhor implementar a estratégica, as instituições da UE e os países da UE devem trabalhar em conjunto para:

sensibilizar para os problemas relacionados com a deficiência;

desenvolver possibilidades de apoio financeiro;

melhorar os dados estatísticos; e

garantir que a UNCRPD é aplicada.

O progresso da implementação da UNCRPD é descrito num Documento de trabalho dos serviços da Comissão de 2014.

CONTEXTO

Oito milhões de pessoas na UE (um sexto da população) são portadoras de deficiência ligeira a severa. Estas pessoas, que são muitas vezes impedidas devido à sua deficiência de participarem na sociedade e na economia, apresentam uma taxa de pobreza 70% superior à média da UE.

ATO

Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu, ao Conselho, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das Regiões: Estratégia Europeia para a Deficiência 2010-2020: Compromisso renovado a favor de uma Europa sem barreiras [COM(2010) 636 final de 15.11.2010 ]

ATOS RELACIONADOS

Documento de trabalho dos serviços da Comissão: Relatório sobre a implementação da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CRPD) pela União Europeia (em inglês) [SWD(2014) 182 final de 5.6.2014 ]

última atualização 13.10.2015

Top