EUR-Lex Access to European Union law

Back to EUR-Lex homepage

This document is an excerpt from the EUR-Lex website

Document 02016D0587-20191127

Consolidated text: Decisão de Execução (UE) 2016/587 da Comissão, de 14 de abril de 2016, relativa à aprovação do sistema eficiente de iluminação exterior dos veículos que utiliza díodos emissores de luz como tecnologia inovadora para a redução das emissões de CO2 dos automóveis de passageiros, em conformidade com o Regulamento (CE) n.o 443/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho (Texto relevante para efeitos do EEE)Texto relevante para efeitos do EEE

ELI: http://data.europa.eu/eli/dec_impl/2016/587/2019-11-27

02016D0587 — PT — 27.11.2019 — 001.001


Este texto constitui um instrumento de documentação e não tem qualquer efeito jurídico. As Instituições da União não assumem qualquer responsabilidade pelo respetivo conteúdo. As versões dos atos relevantes que fazem fé, incluindo os respetivos preâmbulos, são as publicadas no Jornal Oficial da União Europeia e encontram-se disponíveis no EUR-Lex. É possível aceder diretamente a esses textos oficiais através das ligações incluídas no presente documento

►B

DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2016/587 DA COMISSÃO

de 14 de abril de 2016

relativa à aprovação do sistema eficiente de iluminação exterior dos veículos que utiliza díodos emissores de luz como tecnologia inovadora para a redução das emissões de CO2 dos automóveis de passageiros, em conformidade com o Regulamento (CE) n.o 443/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(JO L 101 de 16.4.2016, p. 17)

Alterada por:

 

 

Jornal Oficial

  n.°

página

data

►M1

DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2019/1861 DA COMISSÃO Texto relevante para efeitos do EEE de 31 de outubro de 2019

  L 286

15

7.11.2019




▼B

DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2016/587 DA COMISSÃO

de 14 de abril de 2016

relativa à aprovação do sistema eficiente de iluminação exterior dos veículos que utiliza díodos emissores de luz como tecnologia inovadora para a redução das emissões de CO2 dos automóveis de passageiros, em conformidade com o Regulamento (CE) n.o 443/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho

(Texto relevante para efeitos do EEE)



Artigo 1.o

Aprovação

As tecnologias do sistema de iluminação da Mazda que utiliza díodos emissores de luz (LED) e do sistema de iluminação LED da Honda são aprovadas como tecnologias inovadoras na aceção do artigo 12.o do Regulamento (CE) n.o 443/2009.

Artigo 2.o

Pedido de certificação da redução das emissões de CO2

▼M1

1.  O fabricante pode requerer a certificação das reduções de emissões de CO2 de um ou vários sistemas de iluminação exterior LED para veículos da categoria M1 equipados com motor de combustão interna, assim como para veículos elétricos híbridos não recarregáveis do exterior (ditos NOVC-HEV) da categoria M1 que satisfaçam os requisitos do anexo 8, ponto 5.3.2, ponto 3, do Regulamento n.o 101 da Comissão Económica para a Europa da Organização das Nações Unidas, desde que os veículos em causa estejam equipados com uma ou várias das seguintes luzes LED:

▼B

a) faróis de médios;

b) faróis de máximos;

c) luz de presença dianteira;

d) luz de nevoeiro dianteira;

e) luz de nevoeiro da retaguarda;

f) luz dianteira indicadora de mudança de direção;

g) luz traseira indicadora de mudança de direção;

h) luz de iluminação da chapa da matrícula;

i) luzes de marcha-atrás;

A iluminação LED ou a combinação de luzes LED que integram o sistema de iluminação exterior devem permitir, no mínimo, a redução de CO2 indicada no artigo 9.o, n.o 1, do Regulamento (UE) n.o 725/2011.

2.  O pedido de certificação da redução das emissões CO2 resultante da utilização de um ou vários sistemas eficientes de iluminação exterior LED deve ser acompanhado de um relatório de verificação que ateste que esse tipo de iluminação satisfaz as condições estabelecidas no n.o 1.

3.  A entidade homologadora deve indeferir o pedido de certificação se verificar que um ou vários sistemas de iluminação exterior LED não satisfazem as condições estabelecidas no n.o 1.

Artigo 3.o

Certificação da redução das emissões de CO2

1.  A redução das emissões de CO2 resultante da utilização dos sistemas eficientes de iluminação exterior LED referidos no artigo 2.o, n.o 1, deve ser determinada de acordo com a metodologia apresentada no anexo.

2.  Se um fabricante apresentar um pedido de certificação da redução das emissões de CO2 resultante de mais de um sistema eficiente de iluminação exterior referido no artigo 2.o, n.o 1, em relação a uma versão de veículo, a entidade homologadora deve determinar qual o sistema eficiente de iluminação exterior LED testado que permite a menor redução nas emissões de CO2, e registar o valor mais baixo na documentação de homologação. Este valor é indicado no certificado de conformidade, de acordo com o artigo 11.o, n.o 2, do Regulamento (UE) n.o 725/2011.

Artigo 4.o

Código de ecoinovação

Sempre que for feita referência à presente decisão, deve ser inscrito na documentação de homologação, em conformidade com o artigo 11.o, n.o 1, do Regulamento (UE) n.o 725/2011, o código de ecoinovação n.o 19.

Artigo 5.o

Entrada em vigor

A presente decisão entra em vigor no vigésimo dia seguinte ao da sua publicação no Jornal Oficial da União Europeia.




ANEXO

METODOLOGIA PARA DETERMINAR A REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE CO2 DE VEÍCULOS COM ILUMINAÇÃO EXTERIOR QUE UTILIZA DÍODOS EMISSORES DE LUZ (LED).

1.   INTRODUÇÃO

A fim de determinar a redução de emissões de CO2 que pode ser atribuída a um sistema exterior eficiente de iluminação LED constituído por uma combinação adequada de faróis do veículo a que se refere o artigo 2.o para utilização num veículo da categoria M1, é necessário estabelecer o seguinte:

1) Condições de ensaio;

2) Equipamento de ensaio;

3) Cálculo da poupança de energia;

4) Cálculo da redução de CO2;

5) Cálculo do erro estatístico.

2.   SÍMBOLOS, PARÂMETROS E UNIDADES

Símbolos em carateres latinos

image

Reduções de emissões de CO2 [g CO2/km]

CO2

Dióxido de carbono

CF

Coeficiente de conversão (l/100 km)-(g CO2/km) [gCO2/l], tal como definido no quadro 3

m

Número de luzes exteriores eficientes que compõem o sistema de iluminação LED

n

Número de medições da amostra

P

Consumo de energia das luzes do veículo [W]

image

Desvio-padrão do consumo de energia luminosa LED [W]

image

Desvio-padrão da média de consumo de energia luminosa LED [W]

image

Desvio-padrão do total da redução das emissões de CO2 [g de CO2/km]

UF

Coeficiente de utilização [-], como definido no quadro 4

v

Velocidade média do Novo Ciclo de Condução Europeu (NEDC) [km/h]

VPe

Consumo de energia efetivo [l/kWh], como definido no quadro 2

image

Sensibilidade das reduções das emissões de CO2 calculadas relacionadas com o consumo de energia luminosa LED

Símbolos em carateres gregos

Δ

Diferença

ηA

Eficiência do alternador [%]

Índices

O índice (i) remete para as luzes do veículo

O índice (j) refere-se à medição da amostra

EI

Ecoinovador(a)

RW

Condições reais

TA

Condições de homologação

B

Cenário de base

3.   CONDIÇÕES DE ENSAIO

As condições de ensaio devem cumprir o disposto no Regulamento UNECE 112/00 ( 1 ) relativo a prescrições uniformes respeitantes à homologação dos faróis para veículos a motor que emitem um feixe de cruzamento assimétrico ou um feixe de estrada, ou ambos, equipados com lâmpadas de incandescência e/ou módulos de LED. O consumo energético deve ser determinado em conformidade com o disposto no artigo 6.1.4 do referido regulamento e nos artigos 3.2.1. e 3.2.2 do seu anexo 10.

4.   EQUIPAMENTO DE ENSAIO

Deve utilizar-se o seguinte equipamento (figura 1):

 Unidade de alimentação de energia que forneça uma tensão variável

 Dois multímetros digitais, um para medir a corrente (contínua) e o outro para medir a tensão. A figura 1 apresenta um exemplo de configuração de ensaio, com o multímetro da tensão contínua está integrado na fonte de alimentação.

image

Configuração de ensaio

5.   MEDIÇÕES E DETERMINAÇÃO DAS POUPANÇAS DE ENERGIA

Para cada lâmpada LED eficiente exterior incluída no sistema, a medição da corrente deve ser efetuada conforme indicado na fFigura 1, a uma tensão de 13,2 V. O módulo ou módulos LED acionados por um dispositivo de comando eletrónico de fonte luminosa devem ser medidos nas condições especificadas pelo requerente.

O fabricante pode solicitar que sejam efetuadas medições da corrente a tensões adicionais. Nesse caso, o fabricante deve entregar à entidade homologadora documentação comprovada sobre a necessidade de efetuar essas medições. As medições de corrente, a cada uma das tensões adicionais devem ser efetuadas, pelo menos, cinco (5) vezes consecutivas. As tensões exatas e as correntes medidas devem ser registadas com quatro casas decimais.

O consumo de energia é determinado multiplicando a tensão instalada pela corrente medida. É necessário calcular a média do consumo de energia para cada lâmpada LED exterior eficiente (

image

), sendo cada valor expresso com quatro casas decimais. Se for utilizado um motor passo-a-passo ou um controlador eletrónico para o fornecimento de eletricidade às lâmpadas LED, a carga elétrica deste componente deve ser excluída da medição.

A poupança de energia resultante de cada luz exterior LED eficiente (ΔPi) é calculada pela seguinte fórmula:

Fórmula 1

image

Quando o consumo de energia da luz do veículo de referência é definido no quadro 1.



Quadro 1

Requisitos de energia para as diferentes luzes de referência dos veículos

Iluminação do veículo

Potência elétrica total (PB)

[W]

Faróis de médios

137

Faróis de máximos

150

Luzes de presença da frente

12

Chapa de matrícula

12

Luz de nevoeiro da frente

124

Luzes de nevoeiro da retaguarda

26

Luzes indicadoras de mudança de direção da frente

13

Luzes indicadoras de mudança de direção da frente

13

Luz de marcha atrás

52

6.   CÁLCULO DA REDUÇÃO DAS EMISSÕES DE CO2

A redução total das emissões de CO2 obtida com o sistema de iluminação é calculada pela Fórmula 2.

Fórmula 2

image

em que

v

:

Velocidade média de condução do NEDC [km/h], que é de 33,58 km/h

ηA

:

Eficiência do alternador [%], que é de 67 %

VPe

:

Consumo de energia efetivo [l/kWh], como definido no quadro 2.



Quadro 2

Consumo de energia efetiva

Tipo de motor

Consumo de energia efetiva (VPe)

[l/kWh]

Gasolina

0,264

Turbo-gasolina

0,280

Gasóleo

0,220

CF

:

Coeficiente de conversão (l/100 km) – (g CO2/km) [g CO2/l], como definido no quadro 3.



Quadro 3

Coeficiente de conversão do combustível

Tipo de combustível

Coeficiente de conversão (l/100 km) — (g CO2/km) (CF)

[gCO2/l]

Gasolina

2 330

Gasóleo

2 640

UF

:

Coeficiente de utilização da iluminação do veículo [-], tal como definido no quadro 4.



Quadro 4

Coeficiente de utilização para os diferentes tipos de iluminação dos veículos

Iluminação do veículo

Coeficiente de utilização (CU)

[-]

Faróis de médios

0,33

Faróis de máximos

0,03

Luzes de presença da frente

0,36

Chapa de matrícula

0,36

Luz de nevoeiro da frente:

0,01

Luzes de nevoeiro da retaguarda

0,01

Luzes indicadoras de mudança de direção da frente

0,15

Luzes indicadoras de mudança de direção da frente

0,15

Luz de marcha atrás

0,01

7.   CÁLCULO DO ERRO ESTATÍSTICO

Os erros estatísticos nos resultados da metodologia de ensaio, decorrentes das medições, têm de ser quantificados. Para cada luz LED exterior eficiente incluída no sistema, o desvio-padrão é calculado pela fórmula 3.

Fórmula 3

image

em que:

n

:

Número de medições da amostra, ou seja, 5.

O desvio-padrão do consumo de energia de cada luz exterior LED eficiente (
image ) produz um erro na redução das emissões de CO2 (
image ) Este erro é calculado por meio da fórmula 4.

Fórmula 4

image

8.   SIGNIFICÂNCIA ESTATÍSTICA

É necessário demonstrar, para cada tipo, variante e versão de um veículo equipado com uma combinação de luzes exteriores LED eficientes que o erro na redução de CO2 calculada pela fórmula 4 não excede a diferença entre a redução total de CO2 e o limiar de redução mínima especificado no artigo 9.o, n.o 1, do Regulamento de Execução (UE) n.o 725/2011 [ver fórmula 5].

Fórmula 5

image

em que:

MT

:

Limiar mínimo [g CO2/km], que é de 1 g CO2/km

Se o total da redução das emissões de CO2 obtido com o pacote de tecnologias inovadoras, em virtude da utilização da fórmula 5, for inferior ao limiar estabelecido no artigo 9.o, n.o 1, do Regulamento de Execução (UE) n.o 725/2011, é aplicável o segundo parágrafo do artigo 11.o, n.o 2, do referido regulamento.



( 1 ) E/ECE/324/Rev.2/Add.111/Rev.3 — E/ECE/TRANS/505/Rev.2/Add.111/Rev.3, 9 de janeiro de 2013

Top