Help Print this page 
Title and reference
Modelo comunitário de visto

Summaries of EU legislation: direct access to the main summaries page.
Languages and formats available
BG ES CS DA DE ET EL EN FR GA HR IT LV LT HU MT NL PL PT RO SK SL FI SV
HTML html ES html CS html DA html DE html EL html EN html FR html IT html HU html NL html PL html PT html RO html FI html SV
Multilingual display
Text

Modelo comunitário de visto

Foi estabelecido um modelo comunitário de visto para facilitar a harmonização das políticas nacionais em matéria de vistos e para promover a livre circulação de pessoas na União Europeia.

ATO

Regulamento (CE) no1683/95 do Conselho, de 29 de maio de 1995, que estabelece um modelo-tipo de visto [Ver atos modificativos].

SÍNTESE

Modelo de visto uniforme

O regulamento referido estabelece um modelo-tipo de visto comum a todos os Estados-Membros.

O regulamento considera visto qualquer autorização concedida ou qualquer decisão tomada por um Estado-Membro exigida para a entrada no seu território, para efeitos de:

  • estada nesse Estado-Membro ou em vários Estados-Membros durante um período não superior a três meses;
  • trânsito através do território ou da zona de trânsito aeroportuário desse Estado-Membro ou de vários Estados-Membros.

As informações constantes do modelo-tipo de visto serão conformes:

  • às especificações técnicas que figuram em anexo ao regulamento, que estabelecem dispositivos de segurança universalmente reconhecidos e percetíveis a olho nu;
  • às especificações técnicas complementares que se destinam a impedir a contrafação ou a falsificação do visto e fornecem métodos para o seu preenchimento.

Se as especificações tiverem de ser mantidas secretas, então deverão ser comunicadas apenas:

  • aos organismos responsáveis pela impressão dos vistos;
  • às pessoas devidamente autorizadas pela Comissão ou pelos Estados-Membros.

Foram adotadas medidas complementares, necessárias para garantir um nível mais elevado de segurança, com as decisões da Comissão de 7 de fevereiro de 1996 e de 27 de dezembro de 2000.

Cada Estado-Membro designará apenas um organismo único como responsável para a impressão dos vistos e comunicará o nome desse organismo à Comissão e aos restantes Estados-Membros.

Conforme disposto pela Diretiva 95/46/CE sobre a proteção de cidadãos no que respeita ao processamento de dados pessoais e sobre a livre movimentação de tais dados, um cidadão a quem tenha sido emitido um visto poderá, quando aplicável, solicitar correções aos dados pessoais incluídos nesse visto.

A Comissão é coadjuvada no seu trabalho relativo à uniformização do modelo-tipo de visto por um comité composto por representantes dos Estados-Membros e presidido pelo seu representante.

Os Estados-Membros poderão utilizar o modelo-tipo de visto para efeitos diferentes dos referidos, desde que não exista qualquer possibilidade de confusão com o visto uniforme abaixo definido.

REFERÊNCIAS

Ato

Entrada em vigor

Transposição nos Estados-Membros

Jornal Oficial

Regulamento (CE) no1683/95

3.8.1995

-

JO L 164 de 14.7.1995

Ato(s) modificativo(s)

Entrada em vigor

Transposição nos Estados-Membros

Jornal Oficial

Regulamento (CE) no334/2002

15.3.2002

-

JO L 53 de 23.2.2002

Regulamento (CE) no856/2008

22.9.2008

-

JO L 235 de 2.9.2008

ATOS RELACIONADOS

Regulamento (CE) no333/2002 do Conselho, de 18 de fevereiro de 2002, relativo a um modelo uniforme de impresso para a aposição de vistos concedidos pelos Estados-Membros a titulares de documentos de viagem não reconhecidos pelo Estado-Membro que emite o impresso [Jornal Oficial L 53 de 23.2.2002].

  • O presente regulamento limita-se a descrever o modelo uniforme de impresso, por forma a torná-lo mais seguro. Em anexo à presente proposta reproduz-se um modelo do referido impresso. Serão delineadas especificações técnicas que garantam um certo nível de segurança contra a contrafação, a falsificação e o roubo. As disposições estabelecidas mantêm-se em sigilo, não são publicadas e só são comunicadas aos organismos encarregados da respetiva impressão, designados pelos Estados-Membros.
  • Os Estados-Membros utilizam o modelo uniforme de impresso o mais tardar dois anos após a adoção das disposições acima referidas. A introdução de um novo modelo não afetará a validade de outras autorizações anteriormente emitidas, salvo disposição em contrário por parte do Estado-Membro.
  • No que respeita à proteção dos dados de carácter pessoal, são respeitadas as disposições da Diretiva 95/46/CE de 24 de outubro de 1995.

Regulamento (UE) n.o610/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho que altera o Regulamento (CE) n.o 562/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho que estabelece o código comunitário relativo ao regime de passagem de pessoas nas fronteiras (Código das Fronteiras Schengen), a Convenção de Aplicação do Acordo de Schengen, os Regulamentos (CE) n.o 1683/95 e (CE) n.o 539/2001 do Conselho e os Regulamentos (CE) n.o 767/2008 e (CE) n.o 810/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho [Jornal Oficial L 182 de 29.6.2013].

Regulamento (UE) n.o517/2013 do Conselho que adapta determinados regulamentos e decisões nos domínios da livre circulação de mercadorias, livre circulação de pessoas, direito das sociedades, política da concorrência, agricultura, segurança alimentar, legislação veterinária e fitossanitária, política de transportes, energia, fiscalidade, estatísticas, redes transeuropeias, sistema judiciário e direitos fundamentais, justiça, liberdade e segurança, ambiente, união aduaneira, relações externas, política externa, de segurança e de defesa e instituições, devido à adesão da República da Croácia [Jornal Oficial L 158 de 10.6.2013].

Última modificação: 10.04.2014

Top