Help Print this page 

Summaries of EU Legislation

Title and reference
Informar os trabalhadores sobre as suas condições de trabalho

Summaries of EU legislation: direct access to the main summaries page.
Multilingual display
Text

Informar os trabalhadores sobre as suas condições de trabalho

Na União Europeia (UE) existe uma disposição geral ao abrigo da qual o empregador deve entregar ao trabalhador um documento que contenha os elementos essenciais do contrato de trabalho ou da relação de trabalho.

ATO

Diretiva 91/533/CEE de 14 de outubro de 1991, relativa à obrigação de a entidade patronal informar o trabalhador sobre as condições aplicáveis ao contrato ou à relação de trabalho.

SÍNTESE

Na União Europeia (UE) existe uma disposição geral ao abrigo da qual o empregador deve entregar ao trabalhador um documento que contenha os elementos essenciais do contrato de trabalho ou da relação de trabalho.

PARA QUE SERVE ESTA DIRETIVA?

A diretiva garante que o empregador fornece ao trabalhador determinadas informações essenciais, nomeadamente:

  • a identidade das partes e o local de trabalho;
  • a qualidade do posto de trabalho;
  • a data de início do contrato e a respetiva duração;
  • o montante da remuneração;
  • o período de duração de trabalho normal;
  • a menção das convenções coletivas que regem as condições de trabalho do trabalhador.

A diretiva não se aplica aos trabalhadores que tenham um contrato cuja duração não exceda um mês ou cuja duração de trabalho semanal não exceda 8 horas.

PONTOS-CHAVE

O empregador deve entregar ao trabalhador um documento com as informações exigidas no prazo de dois meses após a sua entrada ao serviço.

As legislações nacionais dos países da UE decidem se existe ou não um contrato de trabalho e, a confirmar-se a sua existência, definem as disposições do contrato em causa. A definição dos termos «trabalhador», «contrato» e «relação de trabalho» é, por conseguinte, deixada à legislação nacional.

Quando um empregador solicita a um trabalhador que exerça a sua atividade num país diferente da UE («trabalhador expatriado»), deve fornecer ao trabalhador em causa, antes da sua partida, o documento que contém os elementos requeridos. Este documento deve indicar determinadas informações suplementares, como a moeda em que será paga a remuneração e o período de duração do trabalho. Estas disposições não se aplicam se a duração do trabalho fora do país não exceder um mês.

Qualquer alteração das circunstâncias deve ser objeto de um documento escrito que o empregador enviará ao trabalhador no prazo de um mês.

A diretiva não impede que os países da UE introduzam disposições legislativas mais favoráveis aos trabalhadores.

A PARTIR DE QUANDO É APLICÁVEL A DIRETIVA?

A partir de 30 de junho de 1993.

CONTEXTO

As novas formas de trabalho deram origem a um aumento do número e dos tipos de relações de trabalho. A diretiva tem como objetivo uma melhor proteção dos trabalhadores a fim de evitar a insegurança acerca dos elementos da relação de trabalho e oferecer uma maior transparência no mercado de trabalho.

Para mais informações, consulte Condições de trabalho - Condições de trabalho individuais no sítiowebda Comissão Europeia.

REFERÊNCIAS

Ato

Entrada em vigor

Prazo de transposição nos Estados-Membros

Jornal Oficial da União Europeia

Diretiva 91/533/CEE

28.10.1991

30.6.1993

JO L 288 de 18.10.1991, p. 32-35

ATOS RELACIONADOS

Decisão 2014/51/UE de 28 de janeiro de 2014, que autoriza os Estados-Membros a ratificar, no interesse da União Europeia, a Convenção sobre Trabalho Digno para os Trabalhadores Domésticos, de 2011, da Organização Internacional do Trabalho (Convenção n.o 189) (JO L 32 de 1.2.2014, p. 32-32).

última atualização 23.07.2015

Top