Help Print this page 

Summaries of EU Legislation

Title and reference
Regulamento de processo do Tribunal de Justiça da União Europeia

Summaries of EU legislation: direct access to the main summaries page.
Languages and formats available
BG ES CS DA DE ET EL EN FR GA HR IT LV LT HU MT NL PL PT RO SK SL FI SV
HTML html BG html ES html CS html DA html DE html ET html EL html EN html FR html IT html LV html LT html HU html MT html NL html PL html PT html RO html SK html SL html FI html SV
Multilingual display
Text

Regulamento de processo do Tribunal de Justiça da União Europeia

O presente regulamento de processo estabelece as disposições necessárias para aplicar e completar o Estatuto do Tribunal de Justiça que figura no Protocolo n.o 3 anexo aos Tratados. O novo regulamento, adotado em 2012, destina-se a ser mais simples e fácil de compreender pelos litigantes e órgãos jurisdicionais nacionais, bem como a refletir melhor a evolução do contencioso do Tribunal de Justiça.

ATO

Regulamento de processo do Tribunal de Justiça, de 29 de setembro de 2012 [Jornal Oficial L 265 de 29.9.2012].

SÍNTESE

O Tribunal de Justiça é um dos três órgãos jurisdicionais que compõem o Tribunal de Justiça da União Europeia, que é a instituição jurisdicional da União Europeia e da Comunidade Europeia da Energia Atómica (CEEA). Os outros dois órgãos jurisdicionais são o Tribunal Geral e oTribunal da Função Pública. Têm por missão garantir o respeito do direito na interpretação e aplicação dos Tratados, nomeadamente fiscalizando a legalidade dos atos da União.

Organização do Tribunal de Justiça

O Tribunal de Justiça organiza-se do seguinte modo:

  • composição do Tribunal de Justiça: o Tribunal de Justiça é composto por 28 juízes e 9 advogados-gerais, nomeados para um mandato de seis anos. Os advogados-gerais assistem o Tribunal de Justiça e apresentam pareceres jurídicos. Os juízes elegem o presidente e o vice-presidente do Tribunal de Justiça por um período de três anos. O presidente representa o Tribunal de Justiça e dirige os trabalhos; o vice-presidente assiste o presidente no exercício das suas funções.
  • constituição das secções e designação dos juízes-relatores: o Tribunal de Justiça constitui secções de cinco e de três juízes, cujos presidentes são eleitos, respetivamente, por três anos e por um ano. Para tratar de um processo, o presidente do Tribunal de Justiça designa um juiz-relator, enquanto um advogado-geral é designado pelo primeiro advogado-geral. Se necessário, o Tribunal de Justiça pode nomear relatores adjuntos.
  • função do secretário: O Tribunal de Justiça nomeia um secretário por um período de seis anos. O secretário é responsável pela receção, transmissão e conservação de todos os documentos, bem como pelos arquivos. O secretário assiste ainda os membros do Tribunal de Justiça e tem a seu cuidado as publicações do tribunal. Por último, dirige os serviços da instituição, sob a autoridade do presidente do Tribunal de Justiça.
  • funcionamento do Tribunal de Justiça: os processos são remetidos ao Tribunal Pleno, à Grande Secção e a uma secção de cinco ou de três juízes. Vários processos podem ser julgados conjuntamente por uma mesma formação de julgamento. As deliberações do Tribunal de Justiça devem permanecer secretas.
  • regime linguístico: é atribuída uma língua de processo a cada processo. Nos recursos diretos, a língua do processo é escolhida pelo demandante entre as vinte e quatro línguas oficiais da União. Nos processos prejudiciais, a língua do processo é a do órgão jurisdicional nacional.

Características do processo

O processo no Tribunal de Justiça inclui, em princípio, as fases seguintes:

  • a fase escrita do processo: trata-se da troca de articulados entre as partes. Estes articulados devem ter um conteúdo bem definido. Quando a fase escrita do processo é encerrada, o juiz-relator deve apresentar um relatório preliminar à reunião geral do Tribunal de Justiça.
  • as diligências de instrução: o Tribunal de Justiça pode determinar diligências de instrução como, por exemplo, a comparência das partes, os pedidos de informações e de apresentação de documentos, a prova testemunhal, a prova pericial ou a inspeção. É lavrada uma ata de cada audiência de instrução.
  • a fase oral do processo tem lugar, sendo caso disso, após a instrução. Os debates são abertos e dirigidos pelo presidente. A fase oral do processo pode realizar-se à porta fechada.
  • as conclusões do advogado-geral: o advogado-geral apresenta as suas conclusões no termo deste processo.
  • a decisão final: o Tribunal de Justiça decide por acórdão ou por despacho. Só o acórdão é proferido em audiência pública. Os acórdãos e os despachos contêm diversas informações, tais como o resumo dos factos ou os motivos. Em seguida, é distribuída uma cópia a cada uma das partes.

O regulamento contém ainda disposições especiais relativas aos diferentes processos do Tribunal de Justiça: processo prejudicial, recursos diretos, recursos das decisões do Tribunal Geral, reapreciação das decisões do Tribunal Geral, pareceres e outros processos especiais.

Reenvios prejudiciais

Os órgãos jurisdicionais nacionais podem apresentar um reenvio prejudicial ao Tribunal de Justiça a fim de colocar uma questão sobre a validade ou a interpretação do direito da União. No âmbito do reenvio prejudicial, podem ser apresentadas observações, nomeadamente:

  • pelas partes no litígio;
  • pelos Estados-Membros;
  • pela Comissão Europeia;
  • pela instituição que adotou o ato cuja validade é contestada.

Recursos de decisões do Tribunal Geral

É possível interpor recurso de uma decisão do Tribunal Geral. Nesse caso, deve ser apresentada uma petição ao secretariado com, nomeadamente, os fundamentos e os argumentos de direito invocados. Esta petição deve ter como objetivo a anulação total ou parcial da decisão.

Reapreciação das decisões do Tribunal Geral

As decisões do Tribunal Geral podem ser objeto de reapreciação pelo Tribunal de Justiça, nomeadamente quando o Tribunal Geral tiver decidido sobre os recursos de decisões do Tribunal da Função Pública. É designada uma secção de cinco juízes por um período de um ano para proceder a essas reapreciações.

REFERÊNCIA

Ato

Entrada em vigor

Prazo de transposição nos Estados-Membros

Jornal Oficial

Regulamento de processo do Tribunal de Justiça

1.11.2012

-

JO L 265 de 29.9.2012 e JO C 337 de 6.11.2012

Ato(s) modificativo(s)

Entrada em vigor

Prazo de transposição nos Estados-Membros

Jornal Oficial

Alterações ao Regulamento de Processo do Tribunal de Justiça

1.7.2013

-

JO L 173, 26.6.2013

ATO(S) RELACIONADO(S)

Regulamento (UE, Euratom) n.o904/2012 do Conselho, de 24 de setembro de 2012 , que altera o Regulamento n.o 422/67/CEE, n.o 5/67/Euratom que fixa o regime pecuniário do presidente e dos membros da Comissão, do presidente, dos juízes, dos advogados-gerais e do secretário do Tribunal de Justiça das Comunidades, do presidente, dos membros e do secretário do Tribunal de Primeira Instância, bem como do presidente, dos membros e do secretário do Tribunal da Função Pública Europeia [Jornal Oficial L 269 de 4.10.2012].

Decisão do Conselho, de 25 de junho de 2013, que aumenta o número de advogados-gerais do Tribunal de Justiça da União Europeia [Jornal Oficial L 179 de 25 de junho de 2013].

O número de advogados-gerais do Tribunal de Justiça da União Europeia é fixado em:

  • nove, com efeitos a partir de 1 de julho de 2013,
  • onze, com efeitos a partir de 7 de outubro de 2015.

Regulamento Adicional do Tribunal de Justiça [Jornal Oficial L 32 de 1 de fevereiro de 2014].

O presente Regulamento Adicional reflete as alterações contidas no novo Regulamento de Processo, em especial no que diz respeito aos procedimentos em matéria de cartas rogatórias e de concessão de assistência judiciária. Substitui o Regulamento Adicional de 4 de dezembro de 1974.

Última modificação: 27.02.2014

Top